Alkantara Festival 2018 – Concertos e Festas

Toda a programação do festival em www.alkantarafestival.pt

Durante o festival, abrimos as portas do estúdio e do acolhedor pátio com esplanada do Espaço Alkantara para festas, com concertos e DJs, que resultam de uma parceria com a Filho Único.

B Fachada, Éme, Maria Reis, Moxila, Sallim e Lourenço Crespo
25 maio
sexta → 23h00

A Superbanda da Música Popular Portuguesa estreou-se ao vivo na festa do 10º aniversário da Filho Único, no final do ano passado. Nos arranjos e interpretações inspiradas ouvidos, sobressaíram, entre as múltiplas bênçãos desta ode ao trabalho entre amigos, as harmonias vocais e a escolha de instrumentos acústicos. Não se sabe com quantas mais aparições este sexteto “roda de choro” nos vai presentear. Por isso, a quem está no mesmo comprimento de onda: este encontro já está marcado.

Vaiapraia e as Rainhas do Baile
26 maio
sábado → 23h00

Empenhados em criar canções com algum cariz, lançam imagens poéticas. Este trio está alinhado diacrónica e sincronicamente com a Pop – a de massas e a subterrânea. A estrutura e direção minimal, e ao mesmo tempo vulnerável, que Rodrigo (Vaiapraia) imprime na banda – em que menos é mais -, tem força, é inspirador e emancipador. O trio tem progressivamente angariado uma generosa plateia de ouvintes pelo país fora, online e IRL. Tem novo disco a sair este ano, muito em breve, para suceder ao celebrado “1755” (2017).

Superstar feat. Tapes
30 maio
segunda → 23h00

Neville Lawrence (Superstar) emigrou da Trinidad e Tobago natal para Nova Iorque nos meados dos anos 80, onde, jovem e destemido, percorreu o circuito ao vivo de músicas urbanas, ao lado de outros entretanto notáveis figurões como Snoop Dog, Biggie e 2Pac. Com o sucesso como incentivo, muda-se para Omaha, Nebraska, com a esposa Anne (Star) onde continua a produzir e gravar música até aos dias de hoje – angariando um culto internacional através do seu canal no Youtube e de edições de autor em VHS/CD/DVD. Em 2016, trinta e poucos anos depois de um caminho criativo sob a égide de um DIY pelas suas medidas, Superstar viu o seu primeiro vinil 12” e cassete editados pela label estoniana Porridge Bullet. No ano passado, regressou com a colaboração Tapes vs. Superstar, em Spirit World, e acaba de lançar Mastermind E.P, colecção de 7 temas clássicos do seu vasto acervo.
Estreia em Portugal de um onironauta que nunca parou de sonhar (n)a sua arte marginal.

Iguanas
01 junho
sexta → 23h00

Duo de Leonardo Bindilatti e Lourenço Crespo, provavelmente a equação de ritmos & blues contemporânea mais desprendida, potente e vital em cima de um palco, hoje em dia, em Lisboa. A sua estética abstracta confere-lhes um senso de estilo único e irredutível, justapondo e conjugando a ciência de beats urbanos de topo de Leo e a lírica e métrica carismaticamente desassossegadas de Lou. Este concerto constituir-se-á a festa de lançamento do novo e magnífico disco Lua Cheia, o mui aguardado sucessor de Doce (2013), selo Cafetra Records, disponível a partir de 11 de Maio.

Conan Osiris
02 junho
sábado → 23h00

Supernova em serena gestação até à recta final do ano passado, quando lança online o fresquíssimo e avantajado “Adoro Bolos”, pela sua cúmplice AVNL. Ao longo destes meses, vai apanhando mais gente de surpresa, fascinando e sensualizando na TV pública nacional e por cabo – com atuações certeiras, ciente do contexto, forças e constrangimentos, sempre nas brechas, avançando no terreno árido da transa de música popular em Portugal. Produções pós-género dançantes, lírica do quarto que encontra a rua – e o contrário – e um carisma interpretativo que não é para todos, servido por uma voz bendita. Ovo de Colombo shyt.

Volúpias
08 junho
quarta → 23h00
Formação orquestrada por Gabriel Ferrandini, com o saxofonista Pedro Sousa e o contrabaixista Hernani Faustino, que ganhou vida numa residência artística promovida pela Galeria Zé dos Bois ao longo de 2016, fruto da intenção do baterista – já reputadíssimo nos círculos internacionais do jazz e da música improvisada não idiomática – em construir trabalho no campo da composição. O primeiro álbum do trio está em agenda para edição ainda este ano.

Chima Hiro, BLEID, DJ Nigga Fox
09 junho
quinta → 23h00

Chima Hiro é o pseudónimo DJ de Rinchen Gatete, luminosa graduada em Cinema e com uma paixão contagiante por Música e pela melhor forma de a celebrar – dançando. De impressionante bom gosto na sua expressão e estilo, é a autora do programa mensal Nyce & Slow na Rádio Quântica e tem tocado regularmente na cidade as suas selecções em casas como o Lux, o Lounge ou as Damas.

BLEID é um dos mais prodigiosos valores revelados nos últimos anos no lato e rico ecossistema da música electrónica de desenho futurista e cortês da pista de dança produzida em Portugal. Para além da sua serenidade enquanto conversa ou actua, tem imergido – e emergido, como referência – no tecido de festas marginais em Lisboa e acaba de lançar o faiscante EP “Badness”, em colaboração com Violet.

DJ Nigga Fox, um dos produtores mais talentosos de música electrónica dos nossos dias, profeta descontrucionista do 4/4 normativo das pistas de dança ocidentais, lançou recentemente o novo disco “Crânio”, pela Warp Records, e fica responsável pela selecção da música para dançar no último terço desta noite de festa.