Exposição Fio de Memória

Palácio do Machadinho, Madragoa
rua do Machadinho, nº20
24 de maio | inauguração 18h-20h
25 de maio a 1 de junho | 11h às 18h
Encerrado sáb. e dom.

Pelo segundo ano consecutivo, o Alkantara em parceria com a Escola António Arroio (disciplinas de Gestão das Artes e Projeto e Tecnologias), desenvolve o projeto Warehouse, que resulta numa exposição de peças criadas pelos alunos finalistas do curso de têxteis, no âmbito da Formação em Contexto de Trabalho. Treze peças têxteis contemporâneas, criadas a partir de memórias íntimas e familiares, habitam o Palácio do Machadinho, na Madragoa, a propósito da exposição Fio da Memória, patente até 1 de junho.

Sob o tema da memória, os alunos desenvolveram a pesquisa, criação e produção de objetos artísticos inspirados nas ideias de tempo, legado familiar e cultural, aliado ao universo visível e invisível da multiplicidade de formas que a memória pode ter.
Fotografias antigas, cartas, peças de vestuário e histórias passadas de ouvido em ouvido, ao longo de gerações, serviram de ponto de partida para a criação de treze peças de têxteis contemporâneas. A técnica de tecelagem, estampagem, tinturaria e tapeçaria utilizadas, assim como os universos de cores e produtos incorporados nas peças, são pensadas e escolhidas de acordo com diferentes abordagens à ideia de memória.

Projeto Warehouse
Desde 2010, o Alkantara tem investido no intercâmbio de conhecimentos e práticas artísticas entre diferentes gerações através de projectos dedicados ao pensamento crítico. Um deles é o Warehouse.
O projeto Warehouse surgiu no âmbito da Formação em Contexto de Trabalho, numa parceria entre o Alkantara e a Escola António Arroio, no ano letivo 2015/2016. Os alunos finalistas do curso de Têxteis desenvolvem propostas de criação ao longo do ano, enquanto a equipa do Alkantara mantém um contacto e acompanhamento regular do desenvolvimento dos projectos, com visitas à escola, análise e feedback sobre os trabalhos. Na edição do Alkantara Festival de 2016, o desafio lançado aos alunos foi a concepção e produção de bandeiras enquanto suportes de iconografia e simbologia de identidades nacionais. Sob o título “Debandada”, os alunos responderam à proposta inspirados pela obra da artista Lourdes Castro, criando uma coleção de bandeiras, cada uma a representar um universo pessoal. Os resultados foram expostos no hall da sala Mário Viegas, do São Luiz Teatro Municipal.
Nesta edição, a exposição Fio de Memória vai ao encontro de um outro projeto que o Alkantara tem vindo a desenvolver. A 2ª edição da TRAÇA – Mostra de Filmes de Arquivo Familiares, a acontecer em outubro de 2017, em vários espaços do bairro da Madragoa, é co-programada pelo Alkantara e dedicada ao encontro com as artes performativas. Cinco artistas convidados produzem peças originais a partir da coleção de filmes de família do Arquivo Municipal de Lisboa – Videoteca, explorando, também, as ideias de memória, património, história e estórias.

Com o apoio de: