Formação no âmbito do APA – Apoio a Produtores e Artistas

Formação no âmbito do APA – Apoio a Produtores e Artistas (Alkantara)
Plano de Formação (Polo Cultural Gaivotas | Boavista/Loja Lisboa Cultura)

Os módulos de formação do APA – Apoio a Produtores e Artistas (Alkantara) e do Plano de Formação do Polo Cultural Gaivotas | Boavista/Loja Lisboa Cultura são dirigidos a produtores e artistas do setor das artes performativas e abordam alguns tópicos chave para o desenvolvimento profissional destes agentes culturais.

Com formadores da Loja Lisboa Cultura, de instituições públicas (Autoridade Tributária, Segurança Social, Inspeção Geral das Atividades Culturais) e outros convidados com experiências distintas, estas formações modulares procuram contribuir para a atualização de competências profissionais, promover o acesso a informação especializada e incentivar a partilha de conhecimentos entre pares.

De setembro a dezembro de 2018 propomos 10 sessões de formação que abordam questões relacionadas com acessibilidade, boas práticas ambientais, mobilidade, gestão estratégica de projetos culturais e de criação, direitos de autor, contratos e as várias obrigações legais dos agentes culturais.

As formações são gratuitas, com inscrição prévia em www.alkantara.pt.

PRÓXIMAS SESSÕES

quinta, 18 de outubro
10h-13h – sessão de grupo | 14h-19h – atendimento personalizado
Polo Cultural Gaivotas | Boavista
LICENCIAMENTOS E OUTRAS OBRIGAÇÕES
Formador: António Ramos
Max. 30 participantes
Inscrições abertas

Nesta sessão dá-se conta das necessidades de licenciamento deste tipo de atividades, nomeadamente para efeitos de espaço público, emissão de ruído, uso de pirotecnia ou publicidade e como se trata destes procedimentos junto da Câmara Municipal de Lisboa. Serão ainda expostos os apoios financeiros e não financeiros que o Município de Lisboa disponibiliza ao setor cultural. Depois da sessão de grupo seguem-se períodos para sessões individuais para esclarecimento de questões ligados a estes temas.

António Ramos é atualmente técnico de atendimento na Loja Lisboa Cultura, estando desde 2007 ao serviço da Câmara Municipal de Lisboa, em áreas tão diversas como a Habitação Social, Atividades Económicas, o Espaço Público ou o Urbanismo. Licenciado em Comunicação Empresarial pela Escola Superior de Comunicação Social, foi, entre 2003 e 2007, consultor executivo de comunicação na Omniconsul. Coordenou, entre 2002 e 2003 a criação e implementação do Centro de Contacto da Associação Nacional de Farmácias para cuidados de saúde e entrega domiciliária de medicamentos. Trabalhou anteriormente no setor bancário.
—-

5 de novembro, 15h-18h
Polo Cultural Gaivotas | Boavista
O ACESSO ÀS ARTES PERFORMATIVAS
Formadora: Maria Vlachou
Max. 30 participantes
Inscrições a partir de 29 de outubro em www.alkantara.pt

O acesso é muito mais que rampas e casas de banho adaptadas. No setor cultural, afeta tanto os espetadores, como as equipas e os artistas. O acesso é uma área transversal a toda a atividade das instituições culturais. Requer a colaboração de todas as áreas, desde a administração / gestão a produção, comunicação, técnica, atendimento/frente de casa e serviços educativos. Esta breve formação será uma introdução ao conceito e prática do acesso nas organizações culturais, com especial referência às artes performativas. Os assuntos a abordar são:
O conceito de acessibilidade
Acesso físico aos espaços (exterior, receção/bilheteira, salas de espetáculos, WCs, cafés, bengaleiros, bastidores)
Atendimento (frente de casa)
Website acessível
Comunicação acessível (design de comunicação e linguagem clara)
Preçários

Maria Vlachou é Consultora em Gestão e Comunicação Cultural. Membro fundador e Diretora Executiva da associação Acesso Cultura. Autora do blog Musing on Culture (e do livro homónimo), onde escreve sobre cultura, gestão e comunicação cultural, públicos, acesso. Gestora da página de Facebook Museum texts / Textos em Museus e co-gestora do blog Museums and Migration. Foi Diretora de Comunicação do São Luiz Teatro Municipal (2006-2012) e Responsável de Comunicação do Pavilhão do Conhecimento – Ciência Viva (2001-2006). Membro dos corpos gerentes do Conselho Internacional de Museus, ICOM Portugal (2005-2014) e editora do seu boletim. Foi consultora do Museu Arpad Szenes – Vieira da Silva e da Comissão Cultural da Marinha. Colaborou com os programas Descobrir e Próximo Futuro da Fundação Calouste Gulbenkian. Estagiou no Petrie Museum of Egyptian Archaeology e no Natural History Museum (Londres). Fellow e membro do ISPA – International Society for the Performing Arts (2018). Alumna do DeVos Institute of Arts Management at the Kennedy Center for the Performing Arts (Washington, 2011-2013); Mestre em Museologia pela University College London (1994); Licenciada em História e Arqueologia (Universidade de Ioannina, 1992).

—-

12 de novembro, 10h-13h
Polo Cultural Gaivotas | Boavista
OBRIGAÇÕES PERANTE A INSPEÇÃO GERAL DAS ATIVIDADES CULTURAIS
Formador: IGAC
Max. 30 participantes
Inscrições a partir de 5 de novembro em www.alkantara.pt

A produção e apresentação de espetáculos é uma atividade regulamentada, sendo a Inspeção Geral das Atividades Culturais o organismo público de licenciamento e monitorização do seu exercício regular.
As obrigações das entidades que desenvolvem esta atividade são variadas, desde a realização de um registo como Promotor à classificação etária e à comunicação prévia de espetáculos, às obrigações de informação ao público, ao cumprimento das normas sobre venda de bilhetes, acesso e licenciamento de recintos. Esta sessão pretende informar quando, como e onde se cumprem estas regras próprias e essenciais ao legal desempenho da atividade.

—-

novembro, data a anunciar, 10h-13h
Polo Cultural Gaivotas | Boavista
MOBILIDADE — SEGURANÇA SOCIAL (A1)
Formador: Instituto de Segurança Social
Max. 30 participantes
Inscrições a anunciar

Frequentemente, ao deslocarem-se para trabalhar no estrangeiro, é exigido aos profissionais do setor cultural que vão munidos de um documento emitido pela Segurança Social vulgarmente apelidado de A1. Nesta sessão prestam-se esclarecimentos sobre: para que serve esse Documento Portátil A1; quais os seus pressupostos e requisitos; qual a documentação necessária; onde se requer; bem como quais os direitos e os deveres dos trabalhadores quando se deslocam na União Europeia e Espaço Económico Europeu.
—-

3 de dezembro, 14h-20h
Polo Cultural Gaivotas | Boavista
MONTAR UM PROJETO DE ARTES PERFORMATIVAS: PARCERIAS LOCAIS E NACIONAIS
Formadora: Sara Machado
Max. 12 participantes
Inscrições a partir de 26 de novembro em www.alkantara.pt

Após o momento “eureka” surgem amiúde várias questões: a quem é que pode interessar este projeto de forma a viabilizá-lo? Quem serão os meus potenciais parceiros? Tendo como base os projetos e os desafios com que se confrontam os participantes desta formação serão partilhadas ferramentas, recursos e contatos.

Sara Machado é Licenciada em Ciência da Informação pela Universidade do Porto. Obteve a bolsa Erasmus na Royal School of Information Science em Copenhaga, Dinamarca. Ampliou os seus estudos com o Mestrado de Gestão Cultural da Universidad Carlos III de Madrid e através do programa InovArt, trabalhou no Ministério da Cultura de Espanha. Na ECF – European Cultural Foundation (Amesterdão, Holanda), desenvolveu extensivamente as questões relacionadas com a mobilidade artística e cooperação cultural na região do Mediterrâneo, Cáucaso e Balcãs. Foi diretora de produção da EIRA, uma estrutura artística dedicada ao desenvolvimento da dança. Especializou-se em estratégias de internacionalização, viabilizando várias digressões na Europa, Ásia, África e América. Em Bruxelas, desenvolveu na Pearle* Live Performance Europe um projeto de investigação sobre Diplomacia Cultural. Atualmente, assume a direção de produção e relações internacionais no CUMPLICIDADES – Festival Internacional de Dança Contemporânea de Lisboa e a Coordenação geral do PERFORMING ARTS PORTUGAL. Está também a terminar o mestrado em Ciência Política e Relações Internacionais na FSCH/NOVA.

—-

6 de dezembro, 10h-17h (pausa 13h-14h)
7 de dezembro, sessões individuais de 30 min. a agendar

Polo Cultural Gaivotas | Boavista (6 de dezembro) e Espaço Alkantara (7 de dezembro)
PROMOÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE CRIAÇÃO NAS ARTES PERFORMATIVAS
formadora: Lisa Gilardino
Max. 12 participantes
Inscrições a partir de 19 de novembro em www.alkantara.pt

Que condições e contextos idealiza para o seu projeto artístico? Este workshop parte de exemplos práticos para abordar como desenhar uma estratégia de produção e difusão para um projeto de criação tendo em conta: contextos e valores artísticos; ferramentas e métodos para promoção e difusão; montagem de circulação internacional; proteção e desenvolvimento continuado do projeto; sustentabilidade; networking. O workshop divide-se entre uma sessão de grupo e sessões individuais de aconselhamento. Sessão em Inglês.

Lisa Gilardino é gestora, produtora e curadora de artes performativas. É atualmente responsável pela gestão estratégica, promoção e difusão dos trabalhos do coreógrafo Alessandro Sciarroni e da companhia Motus, ambos com grande projeção internacional. Desde 2016 é também co-curadora do festival de Santarcangelo, com direção artística de Eva Neklyaeva.

—-

Data a definir, 1 sessão de 3 horas
Instalações da Autoridade Tributária
MOBILIDADE — DUPLA TRIBUTAÇÃO
Formador: Autoridade Tributária
Max. 30 participantes
Inscrições a anunciar

Frequentemente, quando se contratam artistas ou companhias estrangeiras para apresentar espetáculos em Portugal, as entidades nacionais são confrontadas com a aplicação de mecanismos para evitar a dupla tributação, isto é, com a aplicação das Convenções Bilaterais entre Portugal e os países estrangeiros que determinam se há retenção na fonte a processar a título de imposto sobre o rendimento. Em que casos deve reter-se o imposto em Portugal? Para que serve, quando deve ser entregue o MOD. 21 – RFI e quais os seus efeitos na obrigação de retenção na fonte? Estas são algumas das questões que se pretendem esclarecer nesta sessão.

SESSÕES ANTERIORES

segunda, 24 de setembro
10h-13h – sessão de grupo | 14h-19h – atendimento personalizado
Polo Cultural Gaivotas | Boavista
DIREITOS DE AUTOR E DIREITOS CONEXOS
Formadora: Mafalda Sebastião
Max. 30 participantes
Inscrições a partir de 18 de setembro em www.alkantara.pt

A criação cultural na área das artes performativas gera e utiliza obras de natureza artística, veiculadas por intérpretes (cantores, atores, bailarinos). De modo a que estes profissionais sejam justamente retribuídos pelo seu trabalho, as suas obras e prestações são protegidas, respetivamente, pelo direito de autor e pelos direitos conexos. O que é protegido, quem detém estes direitos, para que servem e como se trabalham (tanto na qualidade de detentor destes direitos como de utilizador de obras ou prestações de outrem), são as respostas que se pretendem dar nesta sessão, seguida de possibilidade de atendimento individual para esclarecimento de questões relativas a este tema.

Mafalda Sebastião é coordenadora do Polo Cultural Gaivotas | Boavista, que integra a Loja Lisboa Cultura, da Câmara Municipal de Lisboa. Foi professora de Produção I na Licenciatura em Artes Performativas, na Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa (ESTAL), Produtora no São Luiz Teatro Municipal, de 2007 a 2016, e advogada na EGEAC – Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, EM, entre 2003 e 2006. Dedica-se, como jurista, desde 2002, aos ramos do Direito do Trabalho e do Direito da Cultura, incluindo da Propriedade Intelectual. 

terça, 2 de outubro
10h-13h sessão de grupo | 14h-19h – atendimento personalizado
Polo Cultural Gaivotas | Boavista
CONTRATOS E PROTOCOLOS
Formadora: Mafalda Sebastião
Max. 30 participantes
Inscrições a partir de 25 de setembro em www.alkantara.pt

A celebração de contratos é uma das componentes executivas essenciais na atividade de produção e apresentação de espetáculos. A contratação dos intervenientes, a contratação com parceiros sob as mais variadas formas (como a de coprodução ou de mera apresentação do espetáculo), a definição de direitos e deveres de cada parte, são alguns dos exemplos dos deveres de cada parte que, quando estabelecidos de forma juridicamente segura, se mostram essenciais a um processo produtivo estável e seguro. Nesta sessão serão transmitidos conhecimentos que permitirão saber: quando se considera celebrado um contrato; as regras legais que se aplicam à contratação das equipas; as cláusulas indispensáveis nos tipos de contratos mais frequentes no âmbito da atividade das artes performativas e as regras em causa quando se está perante a contratação com entidades públicas. À sessão de grupo segue-se a possibilidade de atendimento individual sobre estes assuntos.

Mafalda Sebastião é coordenadora do Polo Cultural Gaivotas | Boavista, que integra a Loja Lisboa Cultura, da Câmara Municipal de Lisboa. Foi professora de Produção I na Licenciatura em Artes Performativas, na Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa (ESTAL), Produtora no São Luiz Teatro Municipal, de 2007 a 2016, e advogada na EGEAC – Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, EM, entre 2003 e 2006. Dedica-se, como jurista, desde 2002, aos ramos do Direito do Trabalho e do Direito da Cultura, incluindo da Propriedade Intelectual. 


terça, 9 de Outubro, 10h-12h
Polo Cultural Gaivotas | Boavista
GREEN TOURING
Formador: Julie’s Bicycle
Max. 30 participantes
Inscrições a partir de 2 de outubro em www.alkantara.pt

Dada a importância crescente da difusão e circulação de obras artísticas — e o impacto ambiental que estas atividades têm — torna-se necessário desenvolver modelos de sustentabilidade que promovam boas práticas ambientais. Este seminário, transmitido online pela organização Julie’s Bicycle em Londres, explora o significado das alterações climáticas na circulação de espetáculos e as ações que artistas e organizações podem tomar para reduzir o impacto ambiental destas atividades. Através de exemplos práticos do setor das artes performativas, serão discutidas as oportunidades e vantagens de uma abordagem ecologicamente consciente na circulação de espetáculos.
Sessão em Inglês.

—-