Sofia Dias & Vítor Roriz – De um lado e de outro

Espaço Alkantara
13 out às 21h45
14 out às 19h20
15 out às 16h45

entrada livre (lotação: 40 lugares)
levantamento de senha 30 minutos antes do início da sessão no local, no limite dos lugares disponíveis. Máximo 2 senhas por pessoa.

A 2ª edição da TRAÇA, a decorrer entre 13 e 15 de outubro de 2017, em vários espaços do bairro da Madragoa, é co-programada pelo Alkantara e dedicada ao encontro com as artes performativas. Seis artistas convidados produzem peças originais a partir da coleção de filmes de família do Arquivo Municipal de Lisboa – Videoteca, peças a apresentar em estreia absoluta em vários locais habitados pela comunidade do Bairro da Madragoa.
Os seis artistas envolvidos são Alex Cassal, Isabel Abreu, Raquel André, Sofia Dinger, Sofia Dias & Vítor Roriz e Silva Melo & Miguel Aguiar.
Sofia Dias & Vítor Roriz apresentam De um lado e de outro, uma peça em que os artistas se aproximam do mesmo plano de exposição, de fragilidade e de intimidade que as imagens dos filmes de família oferecem.

De um lado e de outro. Capturando e sendo capturados. Há algo de nós que se revê nestas imagens, tanto a registar banalidades com ternura e missão de arquivista, como nos gestos atrapalhados ou exageradamente medidos que denunciam a presença estranha deste objecto com que tentamos fixar a vida.
E estas pessoas oferecem-nos assim sem preconceitos nem medos os fragmentos de um período das suas vidas para que façamos deles o que entendermos. Mas como prevalece a sensação de que estamos a invadir a intimidade de uma família, pareceu-nos que o mais adequado seria colocarmo-nos no mesmo plano de exposição, de fragilidade e de intimidade que aquelas imagens nos oferecem.
Assim, começamos por pensar o projecto como um modo de esquecimento, a tentativa de uma escrita hesitante, “caseira” no limiar da premeditação e da aleatoriedade. Como se nos quiséssemos aproximar do simples prazer da captura, numa quase ausência de técnica que tem o defeito, ou talvez a virtude, de revelar sempre mais do que aquilo que pensamos estar a revelar.
E colocando-nos num lugar de mediação, vamos partilhando o percurso do nosso olhar sobre as imagens, através de um inevitável recuo que procura devolver ao quotidiano a sua estranheza. Trazendo para primeiro plano gestos, sons e vozes periféricas, objectos apaziguados na sua condição utilitária ou decorativa, e também as formas, as cores, as linhas que atravessam e habitam as imagens. Tudo isto, confundindo os olhares de quem captura com os de quem é capturado, numa tensão que aproxima a vida deles da nossa, da de outros, de todos e de ninguém.

*Texto ao abrigo do antigo Acordo Ortográfico

Concepção e performance Sofia Dias & Vítor Roriz
Produção S&V
Agradecimentos Christiane Jatahy, Alex Cassal, Isabel Abreu, Raquel André, Miguel Aguiar
Duração 20 minutos

Sofia Dias e Vítor Roriz são coreógrafos e bailarinos a colaborar desde 2006. Tendo por base o movimento e o gesto, Sofia e Vítor, têm alargado a sua pesquisa à natureza dúctil da palavra, tanto dita como escrita e à relação entre corpo e objecto. Os seus projectos reflectem uma multiplicidade de interesses e embora a maior parte tenha sido concebida para o palco, têm apresentado experiências sonoras, site-specific’s, performances e instalações. Nos seus dez anos de colaboração apresentaram cerca de quinze trabalhos em 17 países. Desde 2006 que leccionam workshops e aulas regulares a profissionais, amadores e crianças em Portugal e no estrangeiro. O seu interesse crescente por formas de partilha e reflexão entre pares, levou-os à organização desde 2012 de várias residências e encontros entre artistas, dos quais destacam o projecto Aware em parceria com o Alkantara. Enquanto dupla têm vindo a colaborar com outros coreógrafos, artistas plásticos e encenadores, entre os quais Catarina Dias, Lara Torres, Marco Martins, Clara Andermatt, Mark Tompkins, Gonçalo Waddington & Carla Maciel, Tim Etchells e Tiago Rodrigues.