Sofia Dias & Vítor Roriz em residência no Alkantara

19 a 23 de março
Espaço Alkantara

“Os meus romances não existem como ideias na minha cabeça. (…) Eles existem apenas à medida que são escritos, antes estou em branco. Tal como não se pode fazer uma corrida de cabeça e tem de se esperar que seja dado o tiro de partida” Susan Sontag

Antes dizíamos que cada peça era um género de materialização pontual da pesquisa, hoje parece-nos que cada peça é mais uma síntese da própria vida. Como se cada peça reflectisse uma (re)visão do mundo, do que é viver, destruir e construir com o outro, do que é estar em cena e partilhar com o público uma intimidade – porque todas as peças têm esse lado ao mesmo tempo belo e violento da exposição de um imaginário que é talvez o que ainda nos resta de mais íntimo. Ao longo dos dois últimos anos, apresentámos uma série de performances em espaços não convencionais na tentativa de isolar e questionar os elementos da nossa pesquisa: a relação do gesto com o texto dito e cantado; o modo como os objectos informam o movimento; a escrita como acto performativo ou acção coreográfica. Agora surgiu a necessidade de transpor essa pesquisa para o espaço convencional de um teatro procurando não perder o carácter imediato, lúdico e imprevisível que essas performances tinham. Uma síntese, sobretudo do que ficou por fazer. Sem pausas, sem espaços em branco, sem pontuação, em scriptio continua.

Direcção e interpretação Sofia Dias & Vítor Roriz
Colaboração Artística Thomas Walgrave, Alex Cassal, Pedro Costa
Som Sofia Dias
Direcção Técnica Nuno Borda de Água
Produção S&V
Coprodução Alkantara
Difusão Internacional Something Great
Apoio em Residência: Culturgest, Alkantara, TNDMII, CNB

Sofia Dias & Vítor Roriz são coreógrafos e bailarinos a colaborar desde 2006. Tendo por base o movimento e o gesto, Sofia e Vítor, têm alargado a sua pesquisa à natureza dúctil da palavra, tanto dita como escrita e à relação entre corpo e objecto. Nos seus onze anos de colaboração apresentaram cerca de quinze trabalhos em 16 países. Enquanto dupla têm colaborado com diversos artistas tais como, Catarina Dias, Lara Torres, Marco Martins, Clara Andermatt, Mark Tompkins, Tim Etchels e desde 2014 que interpretam a peça António e Cleópatra de Tiago Rodrigues e mais recentemente Sopro (2017) do mesmo autor. Leccionam regularmente aulas e workshops e têm vindo a organizar residências e encontros de reflexão entre artistas em diferentes contextos.

imagem: S&V