Terça-Feira: Tudo o que é sólido dissolve-se no ar

CLÁUDIA DIAS
TERÇA-FEIRA: TUDO O QUE É SÓLIDO DISSOLVE-SE NO AR
espetáculo
Festival DDD – Teatro Municipal de Matosinhos Constantino Nery
29 de abril
sábado: 18h30

Terça-feira é o segundo espectáculo de Cláudia Dias, integrado no projeto Sete Anos Sete Peças em desenvolvimento desde 2015. Depois do Segunda-Feira: Atenção à direita! ter sido apresentado um pouco por toda a europa, num total de 26 apresentações, Cláudia Dias parte para a próxima fase, desta vez, com Terça-Feira: Tudo o que é sólido dissolve-se no ar. A peça conta com a colaboração do artista italiano Luca Belleze e explora a construção visual e sonora de uma narrativa sobre as ideias de fronteira, linha e divisória que povoam o mundo contemporâneo, recorrendo ao universo do cinema de animação tradicional.

Quando era criança assistia fascinada, como muitas pessoas da minha geração, aos programas televisivos do Vasco Granja e ficava deliciada com aqueles desenhos animados que criavam mundos a partir de plasticina, cartolina ou de uma só linha. Cerca de trinta e tal anos depois convoco esse universo, nomeadamente o trabalho de Osvaldo Cavandoli, para esta segunda criação do projeto Sete Anos Sete Peças.
Tendo em conta que uma linha recta é a menor linha que se pode traçar entre dois pontos, este é o ponto de partida escolhido por mim e pelo Luca Bellezze para a criação de uma espécie de cartoon ao vivo urdido a partir de um fio. Numa lógica de frame a frame vai sendo construída uma narrativa visual e sonora que retrata, de forma sintetizada, aspectos particulares da realidade contemporânea.
Num tempo em que as linhas divisórias, as fronteiras, as barreiras, as linhas da frente e de mira dos conflitos bélicos, as fileiras e as linhas de identificação do drama dos refugiados, as linhas de respeito dos limites marítimos das nações, as linhas duras das fações radicais de organizações políticas e religiosas estão na ordem do dia, pretendemos trabalhar (n)uma linha unificadora, capaz de juntar o que se encontra separado.

Conceito e direcção artística Cláudia Dias
Artista convidado Luca Bellezze
Texto Cláudia Dias
Intérpretes Cláudia Dias e Luca Bellezze
Olhar Crítico – Sete Anos Sete Peças Jorge Louraço Figueira
Cenografia e desenho de luz Thomas Walgrave
Assistência Karas
Animação Bruno Canas
Direção técnica Nuno Borda De Água
Produção Alkantara
Coprodução  Maria Matos Teatro Municipal; Teatro Municipal do Porto
Residências Artísticas Teatro Municipal do Porto/Teatro do Campo Alegre; O Espaço do Tempo; Centro Cultural Juvenil de Santo Amaro – Casa Amarela
Agradecimentos Ângelo Alves, Anselmo Dias, Ilda Figueiredo, José Goulão, Jorge Cadima, Paulo Costa
O projeto SETE ANOS SETE PEÇAS é apoiado pela Câmara Municipal de Almada

Alkantara – A.C. é uma estrutura financiada por República Portuguesa | Cultura/Direcção-Geral das Artes e Câmara Municipal de Lisboa

foto: Alípio Padilha