A 2ª edição da TRAÇA, a acontecer em outubro de 2017, em vários espaços é co-programada pelo Alkantara e dedicada ao encontro com as artes performativas. Cinco artistas convidados produzem peças originais a partir da coleção de filmes de família do Arquivo Municipal de Lisboa – Videoteca, peças a apresentar em estreia absoluta em vários locais habitados pela comunidade do Bairro da Madragoa.
Os cinco artistas envolvidos são Alex Cassal, Isabel Abreu, Sofia Dinger, Sofia Dias & Vítor Roriz e Silva Melo & Miguel Abreu.

A TRAÇA é uma mostra de filmes de família, organizada desde 2015 pelo Arquivo Municipal de Lisboa – Videoteca, que através de imagens privadas e individuais, procura construir uma outra história da cidade, feita de memórias e vivências de quem a habita.
Em cada edição, a TRAÇA tem um formato diferente e ocupa um local sempre distinto, adaptando-se ao bairro que a recebe. Há, contudo, dois princípios que se repetem: por um lado, uma série de artistas são convidados a trabalhar a partir da coleção de filmes amadores e de família do AML – Videoteca, criando com estes novos objetos artísticos; por outro lado, a Mostra exibe as imagens em estado bruto, ao mesmo tempo que junta convidados nacionais e internacionais que estejam a trabalhar a partir de arquivos da mesma natureza nas suas cidades.
Para a primeira edição, em 2015, a TRAÇA convidou sete realizadores portugueses para criarem um filme a partir dos filmes de família.